Posted in Reflexões

Solidão – Até Onde Existe Felicidade Nela?

Uma nova moda surgindo em um período em que a individualidade impera

Solidão – Até Onde Existe Felicidade Nela? Posted on 27 de Março de 2018

Amante das letras, da música e da fotografia. Criador do site Na Companhia do Café e autor de todos os textos postados aqui.

Solidão - Até Onde Existe Felicidade Nela?

Até onde existe felicidade na solidão? Pergunta pertinente que me faço toda a vez que me recomendam fazer parte do time “Eu Sozinho”. Admiro e respeito quem consegue dar esse passo invés de conhecer outra pessoa.

Solidão tem significados diferentes para cada um assim como seus efeitos. Enquanto para alguns ela é uma aliada na busca de paz e harmonia, para outros é um mal que trás tristeza, depressão, angústia. Vivemos em um tempo que cada vez mais surgem pessoas dizendo que se sentem bem sozinhas com si mesma. Porém, ainda assim,  sobrevive uma minoria que pensa bem ao contrário.

Ter alguém que gostamos junto da gente é sim compartilhar os melhores momentos da vida a dois. Fazemos os dias desta pessoa melhores porque ela nos faz ser melhor. Não acredito que sozinho seja possível ver algo de bom fazendo coisas que naturalmente faria com alguém. Assistir um filme, ir para o supermercado ou apreciar um pôr-do-sol são alguns momentos que não tem graça curtir sozinho.

É claro que muitos dos solitários tem amigos, sim, tudo bem. Todos temos e de qualidade. Mas o carinho é diferente, o amor também é. O conforto de um abraço, o jeito de olhar, dar risadas juntos, escutar “eu te amo” seguido de um friozinho na barriga. Mas ter a solidão como amiga…? Ela te aquece no inverno? Faz um café da manhã com carinho pra você? Diz “bom dia, fica mais um pouco aqui comigo!”?

Até onde existe felicidade na solidão? Porque, de uma hora pra outra, algumas pessoas passaram a ser solitárias?

Algumas pessoas responderam no meu comentário várias versões sobre o porquê resolvem ficar sozinhas e concordo com algumas. Acredito que a solidão seja uma das formas de cura de um fim de relacionamento conturbado e nessas horas precisamos estar retirados e em PAZ. Outras acreditam descobrir com seus relacionamentos anteriores que a solidão é amiga íntima da independência. Ter só um cobertor, um banheiro, uma toalha, um prato e um copo na mesa e ninguém para trocar de canal da televisão. Não deixam de ter seus namorados, mas cada um na sua casa.

Será a solidão a moda do novo tipo de amor que daremos daqui pra diante? Será o slogan “Sozinho mas feliz”?

Seria uma tendência inevitável por conta da tecnologia que encurtou distâncias? É uma solução para curar todas as dores de uma relação que não deu certo? Será uma nova forma de relacionamento para novas gerações mais individualistas? Os homens certos que ainda acreditam na união pagarão pelos errados?

A solidão é boa e ruim, tanto mata quanto cura. O conhecimento sobre ela como observamos hoje é similar a um remédio amargo: Se você não lê a bula ele te deixa pior. A solidão pode ser uma aliada para muitas situações como vimos antes sobre recuperar-se de uma situação amorosa desagradável. Ela auxilia no processo de cura, por exemplo, ajudando a refletir onde errou e onde poderia ter feito mais para dar certo.

Mesmo em uma relação perfeita precisamos, em algum momento, ficar a sós. E essa atitude não quer dizer que estamos gostando menos da pessoa ou deixando de amá-la. Serve para que reflitamos sobre nós mesmos a respeito de algo que aconteceu, bom ou ruim. Só assim preservamos quem nos ama de escutar algo da boca pra fora. Esta, sim, é a única forma da solidão que podemos dizer que é boa. Ela tem hora pra começar e terminar sem deixar quem nos ama para trás.

 

Paz e Luz para todos! Até a próxima!
Conheça nossa página no Facebook – Na Companhia do Café

Amante das letras, da música e da fotografia. Criador do site Na Companhia do Café e autor de todos os textos postados aqui.

Pin It on Pinterest

error: Conteúdo Protegido.