Posted in Sem categoria

Felizes Juntos ou Separados?

A opinião que diverge sobre ser feliz juntos ou separado

Felizes Juntos ou Separados? Posted on 3 de Abril de 2018

Amante das letras, da música e da fotografia. Criador do site Na Companhia do Café e autor de todos os textos postados aqui.

Felizes juntos ou separados?

Felizes juntos ou separados, eis a questão. Já dizia uma leitora do meu Blog: Para dar certo ou vem seguir conosco ou combinar os passos. A dificuldade de encontrar alguém perfeito já sabemos que existe, mas será que existe algum meio termo?

Já conversamos aqui sobre a solidão e vimos que existem pessoas que gostam de viver com elas mesmas e se sentem bem. Mas fiquei lembrando de alguns causos de amigos e confabulações com amigas, clientes e até mesmo leitores sobre casamento. Nem todos foram felizes, nem todos chegaram a ter filhos, nem todos estão juntos e nem todos estão separados.

Juntando todos eles chegamos ao ponto em que temos duas opiniões que divergem sobre as experiências de cada casal. Se descobriu que muitos que tiveram suas vidas conjugais e se separaram depois de anos, com filhos ou não,  passaram a acreditar que é possível ser feliz sem casamento. Ou seja, é possível ter uma vida feliz desde que cada um tenha sua vida e viva no seu espaço. Situação parecida com o texto que escrevi sobre a solidão.

Mas e aquela pessoa que ainda não passou por essa fase do casamento? Será que ela tem a mesma opinião? Em leituras feitas nas respostas de várias postagens sobre relacionamento muitas pessoas não tem. Ainda existe uma parcela que acredita que ser feliz é estar com alguém para partilhar a felicidade. Ainda existe o sonho de estar com a pessoa que ama sob o mesmo teto e compartilhando a mesma mesa no café da manhã.

Entendo que na atualidade, no mundo moderno de hoje existe uma mudança nos bons costumes e o homem moderno cada vez mais está aderindo ao relacionamento moderno. Moderno em todo o seu contexto desde o pouco tempo que tem para dedicar-se á esposa, aos filhos até a vida familiar num geral. A cultura do casamento como conhecemos está perdendo aos poucos o seu real significado.

Enquanto muitos já passaram por um casamento conturbado em que as diferenças não foram toleradas e o egoísmo tomou conta outros ainda acreditam que problemas existem, manias também, tudo pode ser conversado. Estamos na era da tecnologia moderna, isso deveria ser diferente, era para ser mais abrangente a união de um casal. Em um mundo moderno onde podemos buscar com mais praticidade as mais diversas soluções de salvar um casamento hoje se busca o fim dele de forma mais rápida antes que pior aconteça.

Um de meus leitores teve três relacionamentos que duraram na sua média 5 anos. Morou junto, não oficializou a união e nem teve filhos e ainda assim depois de tudo o que passou acredita que pode ser feliz de novo. É dar uma chance a ele mesmo assim como as que estiveram com ele deram a elas mesmas. Já uma outra leitora teve um casamento de muitos anos, dois filhos disse que não quer mais saber de casamento e está bom como está. Para ela paz e liberdade são mais importante do que arriscar mais outro casamento.

Não devemos julgar quem um dia deu uma chance a si, casou e deu errado depois. Ninguém casa pensando que um dia pode vir a acabar. E também não devemos julgar aqueles que ainda creem que o casamento é parte da vida e pode ser feliz com ele. É comum quando somos pegos pelo fogo da paixão, logo queremos casar, morar juntos, sonhar, planejar, ter filhos, o felizes para sempre… De repente acabou! Caímos, sim, em algumas armadilhas da vida, mas faz parte e é assim que aprendemos. Mas nem por isso precisamos desistir.

“Felizes juntos em cada momento, escrevendo as melhores páginas de nossas vidas!”

Que bom se acertássemos no amor como acertamos em tantas coisas nessa vida. Que bom se tudo começasse com o nosso primeiro amor e pudéssemos viver até a velhice com ele. Mas, também, seria tão bom se existisse um questionário onde uma das perguntas seria: Quais as chances de você me iludir? A gente aprende caindo e é assim na vida, na profissão, na família e no amor.

Passamos a ser mais seletos para cada final de relacionamento e isso é verdade porque acontece sempre. Mas não quer dizer fechar portas e deixar o medo tomar conta da entrada como um leão de chácara. A cautela deve, sim, existir, mas com bom senso. Felicidade a dois é bom, é saudável e rejuvenesce. Conheça alguém. Passe algum tempo com essa pessoa conhecendo seus defeitos e qualidades. Depois de um tempo porque não dar uma nova oportunidade de dividir a mesa no café da manhã?

Paz e Luz para todos! Até a próxima!
Conheça nossa página no Facebook – Na Companhia do Café

Amante das letras, da música e da fotografia. Criador do site Na Companhia do Café e autor de todos os textos postados aqui.

Pin It on Pinterest

error: Conteúdo Protegido.